UncategorizedReceita recorrente agência

A maioria das empresas brasileiras fecha suas portas após cinco anos. De acordo com pesquisa do IBGE, as pequenas empresas são as mais propensas a falir antes dos cinco anos de existência. Sabe qual é um dos principais causadores disso? A ausência de receita recorrente. Se você não tem controle do fluxo de caixa atual e uma previsão de, no mínimo, um ano, provavelmente enfrentará problemas sérios com seu negócio.

O objetivo macro de todo empreendedor e de profissionais autônomos é manter o faturamento fixo e previsível, que permita a administração recorrente das finanças e, consequentemente, o desenvolvimento das entregas.

Adotar o modelo de receita recorrente pode ser imprescindível para a saúde do negócio, principalmente se estamos falando da oferta de serviços e soluções que requerem uma frequência determinada para apresentar resultados.

Entenda agora mesmo o que é receita recorrente e como aplicá-la na sua agência.

Receita recorrente: serve mesmo para mim?

Quem nunca teve problema com cliente inadimplente, que atire a primeira pedra. Seja você dono de agência ou mesmo profissional autônomo, já deve ter passado por isso. Mas já parou para pensar por que algumas pessoas conseguem, mesmo assim, sobreviver tranquilamente trabalhando como freelancer e outras não? Ou como algumas agências possuem anos de mercado e, outras, fecham as portas em pouco tempo?

Como funciona o modelo de receita recorrente?

Como já adiantamos no início do texto, a receita recorrente consiste na obtenção de receita contínua, seja ela quinzenal, mensal, bimestral ou pelo período mais adequado de acordo com o modelo do negócio.

O segredo está em adquirir uma cartela de clientes que pague regularmente, em uma frequência certa e em um período pré-estabelecido, normalmente mensal.

Exemplos práticos disso: o chamado fee mensal das agências, o plano do seu telefone pós-pago ou o sistema de assinatura da sua operadora de TV — quando você precisa renovar o contrato após determinado período de tempo.

Se você deseja um relacionamento duradouro com seus clientes e um modelo de negócio sustentável, você precisa, portanto, da receita recorrente.

Quais são os benefícios?

Quando você fecha um contrato, por exemplo, de ação de inbound marketing por R$ 3.000,00 mensais ao longo de 24 meses ou determina um fee mensal de 4.000,00, você garante um cliente mais lucrativo e um consequente Lifetime Value (LTV) maior — valor investido pelo cliente na sua empresa enquanto se mantém ligado a ela (período do contrato).

O maior de todos os benefícios é a segurança financeira para planejar e realizar melhores decisões. Além disso, torna-se possível pensar em investimentos para o seu negócio, já que há maior previsibilidade acerca dos ganhos dentro de um determinado período. Não é novidade, ainda, que um cliente fidelizado é muito mais benéfico e barato para a empresa do que um cliente novo.

Receita recorrente e o marketing digital: qual a relação

Com o boom do marketing digital em meados de 2012, surgiram diversas empresas de softwares que praticaram esse modelo e se deram bem. Empresas de e-commerce também seguiram a tendência e criaram clubes de assinatura. Por exemplo: se você é um amante de vinhos e consumidor recorrente, escolhe um pacote em um clube de assinatura e recebe, todo mês, 3 vinhos na sua casa, e paga uma mensalidade por isso.

Se você está se perguntando como implementar esse modelo na sua agência, saiba que se trata de um processo a longo prazo. Primeiro, porque é importante avaliar quais são os serviços dentro da sua agência que demandam uma periodicidade específica e o tempo mínimo de ação para desenvolvimento do trabalho.

O inbound marketing é uma das estratégias que requer um tempo mais longo de trabalho, já que lida com fases distintas de ação que dependem uma da outra. Por isso, é praticamente impossível executar uma estratégia de inbound ao longo de três meses com eficiência.

O mesmo acontece se sua agência oferta serviços específicos de conteúdo ou de gestão de mídias sociais. Ambos requerem um tempo mínimo de ação para que os resultados sejam enxergados.

E é aí que entra a oportunidade de receita recorrente. No entanto, provar isso para o cliente é a etapa mais importante. Nesse quesito, apresente um bom planejamento das ações, mostre quais são as perspectivas de trabalho a cada mês e por que é importante que o contrato inicial tenha a duração de 12 meses, por exemplo.  

É essencial que você gere a confiança nos primeiros contatos e faça-os perceber os benefícios de um contrato a longo prazo, até mesmo em termos de valores.

Parcerias como fonte de receita

Uma possibilidade em alta no universo do marketing é estabelecer parcerias com empresas SaaS, ou Software as a Service — serviços de softwares e soluções de tecnologia por meio da internet.

Muitas plataformas oferecem a tecnologia e permitem que agências e profissionais de marketing ofertem o serviço como achar mais adequado. Isso significa que a agência ganha autonomia para definir pacotes para uso do software e precificá-lo de acordo com as necessidades do projeto.

A SharpSpring é uma destas tecnologias que cria novas novas oportunidades de contrato recorrente para agências. Com a parceria, as agências podem ofertar a plataforma de automação de marketing de forma personalizada para seus clientes pelo preço que acharem pertinente, tornando a ferramenta uma fonte de renda própria.

Se você ainda busca meios para geração de receita recorrente em sua agência, conheça o modelo de negócios da SharpSpring para agências parceiras e entenda como a plataforma pode ser sua aliada na hora de conquistar contratos duradouros junto aos clientes.